Frequentemente escutamos grupos que relatam dificuldades no diálogo entre as pessoas, entre os diferentes setores ou áreas da organização, perdas de confiança, reclamações dos clientes ou beneficiários com relação aos serviços ou o reconhecimento de queda na qualidade dos atendimentos. Nessas situações é comum as organizações identificarem a necessidade de treinamento, capacitação, mas parece que os cursos disponíveis não são suficientes para as necessidades específicas daquele momento e daquela organização. O Instituto Fonte compreende que um dos sintomas característicos de que um grupo de pessoas ou um grupo ao redor de uma organização está vivendo uma crise em seu processo de desenvolvimento é a dificuldade que apresentam em aprender.

Aprender a compreender o momento que a instituição está vivendo, a apropriar-se de suas práticas, de suas especificidades e fragilidades, a identificar as melhorias que se fazem necessárias para empreender os aprimoramentos desejáveis. São qualidades esperadas de um grupo ou de uma organização que é capaz de aprender: lê-se e lê o mundo com abertura e sinceridade, abre-se com franqueza ao diálogo do que está e do que não está a contento, reconhecendo e assumindo responsabilidade ao que lhe cabe; permite-se inovar e ousar, planejando o novo com respaldo técnico e gerencial. Tais processos, ainda que grupais, requerem a participação e o engajamento de cada uma das pessoas que constitui o grupo: a aprendizagem de um grupo só se dará se cada um de seus membros se abrir a este processo. Para isso, o Instituto Fonte busca propiciar ambientes nos quais haja a confiança para que diálogos abertos e significativos possam acontecer. Tendo como prática a aprendizagem experiencial, o IF ajuda grupos a se desenvolver, a partir da reflexão de sua prática junto aos diferentes públicos com que interagem.